ADUFPEL - Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas

Logo e Menu de Navegação

Andes Sindicato Nacional
A- A+

Not��cia

Comitê UFPel Covid-19 recomenda aumento do isolamento social

O Comitê UFPel Covid-19 defendeu, na manhã desta sexta (14), o aumento imediato do isolamento social na região de Pelotas. Em nota, o Comitê afirma que a cidade enfrenta o colapso do sistema de saúde, com todos os leitos de UTI adultos ocupados e com pacientes que precisam de cuidado intensivo sendo forçados a esperar por uma vaga. 


“A única estratégia para desacelerar a progressão da COVID-19 em nosso município é a implementação de medidas que aumentem os níveis de isolamento social”, diz a nota. “Para interromper a aceleração da propagação do vírus, é necessário manter níveis de isolamento social superiores a 60%. Assim, o comitê recomenda a tomada de medidas mais restritivas capazes de elevar esse índice para acima de 70% por um período de três semanas, pois o isolamento social vigente é insuficiente para enfrentar o colapso do sistema municipal de saúde”, completa o Comitê. 


Assessoria ADUFPel com imagem de EBC


Leia a nota completa abaixo:

Neste momento, Pelotas enfrenta o colapso do sistema de saúde. Na terça-feira (12/08) todos os leitos de UTI para adultos foram ocupados, e pacientes com indicação para internação em UTI tiveram que permanecer em atendimento no Hospital Universitário, na UPA ou no Hospital de Pronto Socorro. Na quinta-feira (13/08), em comunicação oficial da Prefeitura Municipal de Pelotas, foi anunciado novamente a ocupação de 100% dos leitos de UTI. No mesmo pronunciamento foi informado que, no próximo sábado (15/08), mais dez leitos de UTI estarão disponíveis em Pelotas. Embora esta expansão seja extremamente importante, como o município enfrenta a aceleração da curva de contágio, estima-se que essa ampliação será insuficiente para atender a demanda de Pelotas e região.


A única estratégia para desacelerar a progressão da COVID-19 em nosso município é a implementação de medidas que aumentem os níveis de isolamento social. A Prefeitura Municipal promoveu a ampliação de medidas restritivas de circulação por dois dias e meio, denominado lockdown. O isolamento social no domingo, dia 09/08, durante o lockdown em Pelotas, foi expressivo, alcançando 78%. Entretanto, a queda desse índice ainda durante o período de maior restrição foi rápida tendo atingido 66% na segunda-feira, dia 10/08 e 49% na terça-feira, dia 11/08. Na quarta-feira, dia 12/08, o isolamento social foi de somente 40%. Além disso, nos dias que antecederam o lockdown, houve redução do isolamento social variando entre 37% e 40% no período entre 03 e 07/08. Este é um efeito preocupante, que demonstra uma desvantagem da implementação de medidas restritivas de curta duração, reduzindo o seu impacto na contenção da progressão da COVID-19.


O isolamento social obtido no domingo, dia 09/08, demonstra que é possível implementar medidas restritivas capazes de interromper a aceleração da curva epidêmica. Porém, como se observa nos demais dias da semana passada, atitudes voluntárias têm obtido níveis de isolamento social em torno de 40%, com pouca variação nos momentos de bandeira laranja ou vermelha do distanciamento controlado do Rio Grande do Sul. Isto ocorre porque, na ausência de normatização de lockdown, a população, em especial a mais vulnerável, não alcança o direito ao isolamento social.


Para interromper a aceleração da propagação do vírus, é necessário manter níveis de isolamento social superiores a 60%. Assim, o comitê recomenda a tomada de medidas mais restritivas capazes de elevar esse índice para acima de 70% por um período de três semanas, pois o isolamento social vigente é insuficiente para enfrentar o colapso do sistema municipal de saúde. Como o impacto do isolamento social é maior no início da aceleração da curva epidêmica, cada dia de atraso na implementação dessas ações reduz seu efeito. Além disso, é importante assinalar que os efeitos das medidas de isolamento social levam duas semanas para terem efeito.


Não é justo solicitar isolamento voluntário para a população sem dar as condições normativas para que isso aconteça. Nada pode ser pior para a economia que o colapso do sistema de saúde. O enfrentamento da pandemia necessita de medidas de isolamento social e medidas de proteção social.


COMITÊ INTERNO PARA ACOMPANHAMENTO DA EVOLUÇÃO DA PANDEMIA DA COVID-19 – UFPEL

Veja Também

  • relacionada

    As lutas do povo chileno pelas lentes do cineasta Carlos Pronzato

  • relacionada

    9º Conad Extraordinário do ANDES-SN começa segunda-feira (28)

  • relacionada

    Assembleia Geral da ADUFPel tem continuidade nesta sexta-feira (25)

  • relacionada

    MEC confirma mais de R$ 1,57 bi de corte na Educação

  • relacionada

    Em Assembleia da ADUFPel, docentes dão continuidade ao debate sobre o novo Calendário Alte...

  • relacionada

    Consulta Informal UFPel: saiba como votar

Newsletter

Deixe seu e-mail e receba novidades.